Seu código Delphi está bem escrito?

A métrica nos ajuda a padronizar código. Quem nunca teve acesso a um código em que o desenvolvedor cria 10 construtores para uma classe, 10 ifs um dentro do outro, métodos com 20 parâmetros e outras práticas que só prejudicam a leitura do código? Pois então, com as métricas podemos definir quais os limites que a empresa utilizará, por exemplo: uma classe não poderá ter mais do que 4 construtores, poderá ter no máximo 400 linhas de código e os nomes dos métodos devem ser escritos conforme a convenção Pascal, que diz que o nome de um método deve ter a primeira letra maiúscula.

Cada métrica tem os seus limites e estes poderão ser customizados, conforme figura abaixo:

Após executar as métricas os resultados serão analisados através do gráfico de Kiviat, onde o circulo vermelho é o limite definido anteriormente e todos os pontos foram deste círculo mostram que parte do código está rompendo as métricas.

Cada classe poderá ser analisada separadamente. Desta forma, será mais fácil identificar as violações de métricas. Com a auditoria e métrica, o desenvolvedor poderá entregar um código e uma aplicação com mais qualidade tanto interna quanto externa. Tudo isso você pode executar no seu código em qualquer versão a partir do 2006.

Recomendo como leitura adicional outros dois posts:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.