Polêmica mudança no contrato de licença do Delphi XE3 e C++Builder XE3

Delphi XE3 será lançado muito em breve e alguns previews já foram publicados, infelizmente essa versão vem recheada de polêmicas, algumas notícias tem vazado o que é lastimável quando isso acontece, pois demonstra a falta de respeito e palavra daqueles que assinam o acordo de confidencialidade (NDA).

A maior polêmica está no novo contrato de licença (EULA) que vazou esta semana, onde os novos usuários de Delphi somente poderão utilizar a edição Professional para acesso a banco de dados local, seja com os componentes do Delphi ou de terceiros, para desenvolver aplicações Client/Server os novos usuários deverão utilizar a edição Enterprise ou superior, ou comprar o Addon Client/Server para a edição Professional. Caso você tenha uma licença entre o Delphi 1 até o XE2 você não será afetado por essa restrição do XE3.

Abaixo o texto original:

. the use of data access technologies for client/server
connectivity will no longer be allowed in the Professional edition.
This includes both Embarcadero and 3rd party solutions. Professional
users may only, legally, access local databases with their applications.

Users who want to use client/server database access can purchase a
Client/Server Add-On Pack for their Professional edition or purchase
an Enterprise, Ultimate or Architect edition product.

This restriction if for new licenses only. Users upgrading to XE3
will be “grandfathered” in that they will be able to continue to use
3rd party data access technologies for client/server database access
in version XE3 ..

 

Ainda existem questões em abertas sobre a definição de novos usuários, por exemplo, se você tem uma licença do Delphi 2006 ou versão anterior e deseja atualizar para uma nova versão, hoje você terá que comprar uma nova licença, pois somente quem tem uma das 3 últimas versões do Delphi pode fazer o upgrade, ai fica a pergunta este usuário será ou não afetado?

Além de tudo isso, os Technology Partners, aqueles que desenvolvem componentes pra Delphi serão impactados, pois muitos usuários de Delphi Professional utilizam componentes de terceiros para acesso remote de bancos de dados como Oracle, SQL Server, DB2 e outros.

A polêmica é gigantesca, o forum da Embarcadero tem uma threads sobre o assunto com mais de 300 replies, outros blogs tratam do tema também.

O produto ainda não foi lançado e toda essa discussão tem um lado positivo, deixar a Embarcadero saber a opinião dos usuários de Delphi e fazer as correções necessárias se assim desejar antes do lançamento oficial.

O que você acha desta mudança?

26 respostas
  1. Nelson Henrique Corrêa Nepomuceno
    Nelson Henrique Corrêa Nepomuceno says:

    É um absurdo essa mudança de política. A essa altura resolveram matar o Delphi de vez?!
    Nunca usei a versão Enterprise porque nunca precisei de nada dela.
    Sempre trabalhei com conexão Local e Cliente / Servidor. Nunca gostei do 3 camadas, que para mim é sinônimo de confusão e retrabalho.
    Os drivers fornecidos pela Borland (agora Embarcadeiro) eram ruins e me traziam problemas que só pude resolver com o uso de drivers de terceiros (CoreLab, agora Devart).
    Para usuários como eu não há razão técnica para justificar o upgrade para Enterprise e para a Embarcadero é impraticável conferir com que versão foi compilado ou desenvolvido o projeto.

    Responder
  2. BuenoBox
    BuenoBox says:

    Vejo esse “corte” da funcionalidade de BD remoto como um absurdo!
    Ao invés de corrigirem erros e se preocupar em lançar uma IDE cada vez mais robusta(atraindo usuários e consequentemente o mercado), os “responsáveis” pelo produto se preocupam apenas em como aumentar o preço da ferramenta.

    Responder
  3. Brian
    Brian says:

    Poxa, muito triste ver isso, pois quem usa a ferramenta profissionalmente com certeza usa client/server. Nenhuma empresa de desenvolvimento mesmo trabalha apenas com dados local hoje, isso serve para pequenas empresas que normalmente utilizam de aventureiros da programação para o seu sistema já que o custo é bem inferior, e nesse caso, eles também não tem o dinheiro suficiente para se manter e obter uma licença do delphi que não é barata, optando por meios alternativos (vulgo pirataria). Ou seja, este tipo de atitude não leva a local algum além da irritação e chatiação dos fiéis utilizadores e adeptos da ferramenta.
    O que é preciso é focar ainda mais em melhorar a IDE e disponibilizar mais e novos recursos de desenvolvimento facilitando e dando uma nova aproximação para o mundo do desenvolvimento, assim, ganhando mercado a partir da inovação e diferença entre outras tecnologias.

    Responder
  4. Rafael Rossi
    Rafael Rossi says:

    Acredito que isso seja uma coisa muito estupida a se fazer, por parte da Embarcadero, pois poderiam sim retirar o pacote mas não impedir o uso de componentes de terceiro.
    Eu por exemplo, não tenho o hábito de usar os componentes DBX para trabalhar, sempre optanto por pacotes de outras empresas que me adequei melhor.
    Torço para que retirem essa cláusula para não piorar ainda mais a imagem que o Delphi vem ganhando frente a outras linguagens, pois apesar de ser uma fantastica ferramenta, se não tiver pessoal para usar fica complicado.

    Responder
  5. Amilton
    Amilton says:

    Andreano,infelizmente parece que fazem uma força danada para matar a ferramenta.
    Sinceramente, tem muito tempo que não entendo a política de mercado da Borland/Inprise/Borland/CodeGear/Embarcadero. A sensação que tenho é que a empresa é dirigida pelos estagiários, ou por um bando de garotos de, no máximo 15 anos de idade.
    O lado, digamos, menos ruim, dessa estória, é que isso prova como o Delphi é uma excelente ferramenta, pois apesar dos esforços inauditos que a Embarcadero vem fazendo para matar a ferramenta, a mesma continua (aos trambolhões, mas continua) no mercado.
    É lastimável essas atitudes, o mercado de componentes de terceiros, que já não anda lá essas coisas, vai ficar cada dia pior. Ou seja, o ecossistema, justamente uma das partes mais interessantes da ferramenta, começa a ser sufocado pela própria produtora.

    A água deles deve estar estragada, ou o ar contaminado, só pode!

    Responder
  6. Ricardo
    Ricardo says:

    Abuso de poder. Cada vez mais somos obrigados a pagar mais por menos.
    Pior é impor acesso somente local a componentes de terceiros. Isso que é autoritarismo.

    Responder
  7. André
    André says:

    Eu acho que isso só gera mais desconfiança por parte dos desenvolvedores Delphi
    Não me surpreende a “fuga” dos desenvolvedores para outras linguagens

    Responder
  8. Jean Barreiros
    Jean Barreiros says:

    É com certeza uma decisão muita desacertada por parte da Embarcadero, ainda mais numa época que se há uma crescente migração de programadores Delphi para outras linguagens como Visual C# .net, java entre outras.
    Não sei se as pessoas envolvidas nesse novo processo estão realmente ligadas a realidade do desenvolvimento prático de aplicações utilizando delphi, o que eu acho que vai acontecer, é que quem já tem as licenças do delphi e c++Builder XE2 ou anterior irão continuar com suas versões e começarão uma migração em massa das aplicações para outras linguagens, que adotam menos burocracia em suas licenças.

    Responder
  9. Ageu
    Ageu says:

    E vejo que as empresas que estão migrando do delphi para outras plataformas open source ou não; já visualizaram o caminho que a linguagem tomaria. Uma pena pois tem uma enorme potencial a ferramenta, logo agora que estava começando a evoluir novamente.

    Concordo com Jean Barreiros muitos mais desenvolvedores iram migrar para outras ferramentas e linguagens.

    Responder
  10. Pierre Ghislain
    Pierre Ghislain says:

    Típica aldrabice de marketer e managers que acham que se pode entalar os clientes para aumentar o lucro.
    Pois Embarcadero devia é investir numa verção Firemonkey para Androide, iPhone, Windows mobile, etc… e então poderia vender o FireMonkey separadamente. Isso tinha sentido.
    Concluindo: embarcadero não vai vender o Delphi XE3 !

    Responder
  11. Eric Serafim
    Eric Serafim says:

    Vejo isso como uma estratégia da Embarcadero para forçar os desenvolvedores a migrarem seus sistemas para a estrutura multicamadas (Datasnap). É lógico que existe “N” formas de se fazer isso, infelizmente a Embarcadero escolheu a pior delas.

    Forte Abraço Andreano!!!

    Responder
  12. Laercio Guerço Rodrigues
    Laercio Guerço Rodrigues says:

    De tudo que li sobre esse assunto, e também opinei, fico com o último parágrafo deste post.

    “O produto ainda não foi lançado e toda essa discussão tem um lado positivo, deixar a Embarcadero saber a opinião dos usuários de Delphi e fazer as correções necessárias se assim desejar antes do lançamento oficial.”

    Gente só para lembrar, essa companhia é de capital aberto, de atuação global, não acho que irão colocar tudo a perder.

    Responder
  13. nasser
    nasser says:

    Existem dois tipos de empresas que ainda usam Delphi:

    As que estão migrando pra outra plataforma e as que ainda não caiu a ficha.

    Trabalho numa que está migrando pra Java…..

    Responder
    • Ernani
      Ernani says:

      Boa tarde Nasser.

      Acredito que voce não esteja contente com a tomada de decisão na sua empresa né?

      Do contrário não estaria procurando informações sobre Delphi né, estaria procurando sobre JAVA!!!

      Responder
  14. Allan Gomes
    Allan Gomes says:

    Eu acho isso uma coisa muito sem noção, sempre gostei muito do Delphi era fanático pela ferramenta e via um avanço muito fantástico ao decorrer do tempo até conhecer outra Linguagem e Ferramenta que tem tudo o que o Delphi tem hoje e ainda mais: Garbage Collector, MVC Nativo, Orm Nativo, Corretor de Código, Métodos Extensivos, Tipos Dinâmicos… é acho que vocês já sabem de qual linguagem estou falando. E a anos ainda estou esperando pelo Garbage Collector que eu acho primário de qualquer linguagem.

    Responder
  15. Carlos Daniel
    Carlos Daniel says:

    Essa nova política comercial aliada a questão de descontinuar o Rave Report tem um impacto muito profundo em nossa decisão de continuar ou não em investir no Delphi como IDE, aqui onde trabalho já temos parte da equipe migrando para o Visual C# e honestamente tenho pensado se também já não está na hora de eu mesmo mudar, estou com o Delphi desde a versão 3, já adquirimos muitas licenças ao longo desse tempo e tenho visto essa ferramenta perder campo para outras dia a dia.

    Responder
  16. Luiz Adriano
    Luiz Adriano says:

    Nossa pequena empresa, tem 3 sistemas desenvolvidos e comercializados.
    O último que terminamos a menos de 01 ano, já tinhá-mos dúvidas se desenvolveríamos com o Delphi, quase optamos pelo Visual Stúdio.
    Se esta restrição virar realidade.
    Com certeza nosso próximo sistema não será desenvolvido com o Delphi

    Responder
  17. Joao
    Joao says:

    Levando em consideração que a maioria dos desenvolvedores FreeLa, e muitas “SoftwareHouses” do Brasil usam as versões “Paralelas” do Delphi, não vejo qual é o grande problema, visto que as “Licenças Paralelas” geralmente são a versão mais completa (Architect).
    Agora quem trabalha “certinho” compra Licenças da embarcadero para todas as estações de produção, nesse caso meu amigo, vai ter que rebolar em algumas “Dilmas” (5k+ p/s).

    É a Embarcadero fomentando a ilegalidade.
    E Viva a Pirataria.

    =P

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] mudança no contrato de licença foi abortada, ou seja, os novos usuários de Delphi Professional continuarão podendo utilizar a ferramenta para […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.