Como equipes ágeis planejam seu trabalho

Na sequência de artigos sobre métodos ágeis vamos conhecer um pouco sobre o planejamento das equipes, abaixo um breve resumo.

Uma equipe ágil trabalha com base em iterações para entregar user stories (histórias). Iteração é o termo genérico utilizado em Agile, em SCRUM iteração é chamada de Sprint, estarei utilizando o termo genérico neste e futuros artigos.

Inicialmente as histórias residem no backlog, onde o Product Owner juntamente com a equipe irá estimar o tamanho e definir a prioridade de cada história, a partir dai se define as iterações de trabalho e aloca-se um conjunto de histórias a serem entregues.

Com base na sua capacidade de trabalho (quantidade ideal de horas para trabalhar nas tarefas) a equipe plenja o quanto ela poderá absorver em cada iteração.

Story Points é a métrica utilizada pelas equipes para estimar o tamanho de cada história e representa o quanto a equipe irá se comprometer, e não só isso, Story Points é uma forma relativa de medir o tempo necessário para se implementar uma história, através de Story Points estamos medindo o tamanho e complexidade e não a expertise e tamanho da equipe, em outras palavras estamos dizendo o quão difícil é em termos de quanto tempo será usado para fazermos algo.

O que é um User Story (Histórias)?

User Story é um requisito que define uma funcionalidade que o usuário necessita, como melhores práticas você pode escreve-lo de duas formas:

  • Como <Papel do Usuário> eu preciso <Funcionalidade> de modo que <Valor para o Negócio>
  • A fim de <Valor para o Negócio> como <Papel do Usuário> eu preciso <Funcionalidade>

A forma de representar requisitos em Agile é bem diferente do que você está acostumado a ver no método waterfall, em agile vamos ser precisos e especificar aquilo que realmente o usuário precisa e qual o valor para negócio que tal funcionalidade irá trazer, detalhes de como esta funcionalidade será implementada serão descrito nas tarefas a serem geradas.

Durante a reunião de planejamento do Release, as histórias recebem uma estimativa com base em uma escala relativa como Story Points.

Durante a reunião de planejamento da iteração, a história será quebradas em tarefas, as quantas forem necessárias para entregar a história.

Agile é muito disciplinado no que diz respeito a produção de real valor para o negócio e estimativas precisas.

No próximo artigo vamos discutir a relação entre as histórias e tarefas.

2 respostas
  1. Celso Henrique
    Celso Henrique says:

    Bom dia Andreano,

    Aqui você diz que o Product Owner e a equipe fazem uma estimativa do tamanho da história. Baseado em que é feita essa estimativa? Em que momento é feito um levantamento com o usuário para se entender o negócio e ter um conhecimento, mesmo superficial, da complexidade da história? As histórias são definidas pelos desenvolvedores de acordo com o que eles acham do negócio? Se neste ponto já houve um levantamento, como ele é feito? Visto que SCRUM também é iterativo, existe iteração para este levantamento? Como ela é planejada?

    Sei que são muitas perguntas, mas esta série de posts está me ajudando muito a entender como funciona os métodos que não se utilizam de uma documentação mais detalhada (não burocráticos).

    Atenciosamente.

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.